Curta o TV Ecologia no Facebook!

Eco-blogs

Blogs recomendados

Estatisticas

Siga pelo e-mail!!!

Postagens populares

Seguidores

Vinícius por Vinícius

Minha foto
Serra Negra, São Paulo, Brazil
Sou estudante do 8° semestre do curso de Administração na Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Atualmente moro em Serra Negra - SP, cidade do interior do Estado de São Paulo. Me siga nas redes socias: Twitter: https://twitter.com/vinicius_sn | Facebook: https://www.facebook.com/vinicius.sousa.3192 | Snapchat: viniciuslapa | Instagram: https://www.instagram.com/viniciussol/

Nossos Arquivos

Pessoas On-Line

Que marcas você quer deixar no planeta? Calcule sua Pegada Ecológica.

Previsão do Tempo

Direitos Autorais

Creative Commons License. TV ECOLOGIA está licenciado por Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-vedada um Criação de Obras Derivadas 3.0 Licença Brasil baseado nos trabalhos do TV ECOLOGIA. Permissões além do escopo desta licença pode estar sendo solicitada entrando em contato conosco.
quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

ESTÁ COMEÇANDO AGORA, AS 21h00 , O BOLETIM ECONEWS 1ª EDIÇÃO COM AS SEGUINTES NOTICIAS!
  • Bombeiros encontram oitava vítima das chuvas em São Paulo
  • Chuva de ontem em SP foi a maior em 10 anos, diz CGE
  • Em 12h, SP tem um terço da chuva esperada para dezembro
  • No Twitter, Serra culpa excesso de chuvas pelos estragos em SP
  • São Paulo ou Veneza? Confira algumas imagens...

Bombeiros encontram oitava vítima das chuvas em São Paulo

Segundo os bombeiros, a vítima foi localizada por volta das 14h30, em meio a entulhos às margens de um rio Bombeiros de Itapevi, na Grande São Paulo, encontraram nesta quarta-feira (9) o corpo do homem que caiu no Rio Itapevi durante as enchentes de terça-feira (8). Com isso, subiu para oito o número de mortes provocadas pelos temporais que atingiram a região. Segundo os bombeiros, a vítima foi localizada por volta das 14h30, em meio a entulhos às margens do rio, no trecho que passa pelo município de Jandira, antes de desembocar no Rio Tietê. Sétima vítimaUm homem de 45 anos, morador de Cajamar, na Grande São Paulo, foi a sétima vítima das fortes chuvas. Antonio Carlos Vasquez estava desaparecido desde esta manhã, após ter sido arrastado pela correnteza de um córrego no bairro da Vila União. O corpo foi encontrado por volta das 10h30, a cerca de 300 metros do local onde ele desapareceu. Segundo a Defesa Civil, Vasquez caiu dentro do córrego depois de ultrapassar a barreira de segurança. As chuvas alagaram trechos dos bairros Gato Preto, Vila União, Vila Mariote, Santa Terezinha e Parque Paraíso. As chuvas também causaram outros danos em São Paulo. Parte do telhado de um supermercado desabou e deixou duas pessoas feridas pela tarde na Vila Curuça, na zona leste da capital. Segundo o Corpo de Bombeiros, três viaturas foram enviadas para o local. As vítimas sofreram escoriações e foram encaminhadas para hospitais da região. Chuva de ontem em SP foi a maior em 10 anos, diz CGE São Paulo - A chuva que provocou ontem seis mortes e deixou estragos e inundações na capital paulista foi a maior registrada em dez anos, desde a fundação do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), em 1999. Segundo o técnico em meteorologia do órgão, Adilson Nazário, a precipitação média total em São Paulo registrada durante as 24 horas - até a meia-noite de ontem -, chegou aos 77,4 milímetros de chuva. Pelos registros do CGE, a marca bateu o recorde observado no dia 24 de maio de 2005, quando o volume atingiu os 76,2 mm. Se comparado com os registros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), que faz a medição desde 1943, essa marca passa a ser a segunda maior para o mês de dezembro desde 1988, quando foi registrado em 24 horas o volume de 151.8 mm, no dia 21. De acordo com Nazário, em alguns bairros os valores excederam os 100 mm. Na Consolação, a marca chegou aos 122,6 mm; em Ermelino Matarazzo, a 119,8 mm; no Itaim Paulista chegou a 109,3 mm; na Lapa, a marca foi de 106,8; em Itaquera de 105,4 mm; e em Guaianazes de 101,4 mm. Segundo Nazário, chove quase todos os dias na cidade de São Paulo desde 20 de novembro, com uma trégua apenas no dia 30. Já em dezembro não choveu apenas no último domingo. O total do volume de chuvas nesses oito dias do mês, segundo Nazário, chegou a 144,8 mm, chegando a 72% do esperado para o mês. A média para dezembro é de 201 mm. "Há a expectativa que este mês dezembro ultrapasse a média climatológica", conclui. Previsão Nos próximos dias, uma frente fria associada a áreas de instabilidade ainda influencia o tempo em boa parte do Estado de São Paulo e na capital paulista. A previsão é de pancadas de chuva pelo menos até o fim de semana. Amanhã, está previsto apenas pancadas de chuva leve a moderada no fim do dia. A temperatura máxima deve atingir os 26ºC. Já na sexta e no sábado, a formação de uma área de baixa pressão dá origem a uma frente fria, que traz de volta as chuvas fortes para a capital paulista e a Grande São Paulo. Como isso, eleva-se o potencial para a formação de alagamentos e risco de novos deslizamentos de terra em função do solo já bastante encharcado. De acordo com Nazário, os maiores volumes de chuva devem ficar concentrados na sexta-feira e no sábado. Em 12h, SP tem um terço da chuva esperada para dezembro A quantidade de precipitação causou 105 pontos de alagamento em todas regiões e fez com que o trânsito atingisse 120 km A cidade de São Paulo recebeu, entre as 19h de segunda-feira (7) e as 7h desta terça (8) uma média de 64,4 mm de água, o equivalente a um terço da média de chuvas esperada para o mês de dezembro (201 mm), segundo comunicado da prefeitura. A quantidade de precipitação causou, às 9h30, 105 pontos de alagamento em todas regiões e fez com que o trânsito atingisse 120 km, de acordo com dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) declarou estado de atenção em toda a cidade às 3h15 desta terça. Às 4h40, a região do Ipiranga foi colocada em estado de alerta, permanecendo assim até as 8h40, com a normalização da situação do Rio dos Meninos. Também foi declarado estado de alerta nas marginais Tietê e Pinheiros e nos bairros Itaim Paulista, São Miguel e Vila Prudente. Segundo a Defesa Civil, 222 imóveis foram interditados, com aproximadamente mil pessoas desalojadas. A Prefeitura disponibilizou vagas em abrigo, cestas básicas, colchões e cobertores a essas pessoas. A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social permanece no local cadastrando famílias. "Temos aproximadamente 350 agentes da Defesa Civil e também temos agentes da CET, SMADS e Subprefeituras trabalhando conosco", explicou o coronel Jair Paca. Todas as famílias vítimas dos deslizamentos serão cadastradas nos programas habitacionais da prefeitura. A inclusão no Programa Parceria Social, que prevê o pagamento de R$ 300 de aluguel, será analisado caso a caso, juntamente com as Subprefeituras, afirmou o comunicado. O secretário de Coordenaçãocdas Subprefeituras, Ronaldo Camargo, destacou o elevado índice de chuvas na Cidade, mas ressaltou que as obras feitas nesta gestão deixaram São Paulo mais preparada. "Agora, temos de nos preocupar com as áreas de escorregamento. Estamos com mais de 1.500 pessoas das Subprefeituras trabalhando", concluiu. O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), afirmou que recebeu "com muita satisfação" a informação de que, pela primeira vez, não houve transbordamento nos Córregos Aricanduva, na zona leste, e Pirajussara, na zona sul. Kassab afirmou que as obras nesses locais "suportaram bem" a intensidade da chuva. Ele negou que as precipitações tenham causado o caos na capital paulista. "Não foi o caos, a chuva foi é muito intensa." "A mesma intensidade, até o ano passado, causava o transbordamento (dos córregos). Tivemos um comportamento adequado, foi muito positivo. As obras mostraram seu efeito", comemorou o prefeito, em entrevista transmitida ao vivo pela televisão.

Rodízio
O rodízio de veículos com a proibição de circular para os carros com placa final 3 ou 4 está mantido na tarde desta terça-feira, das 17h às 20h, em São Paulo, segundo informou a CET. Já os motoristas que foram multados pela manhã por infringir a lei municipal do rodízio terão a multa anulada por conta do caos provocado pelas chuvas na capital.
Vítimas
Depois chegaram informações de que o deslizamento de um barranco em um bairro conhecido como 120, em Santana do Parnaíba, deixou um total de quatro pessoas mortas. No começo desta tarde foi divulgada a informação sobre um soterramento no bairro Monte Belo, em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo, que fez mais uma vítima. A Defesa Civil de São Paulo anunciou no início desta tarde novas áreas que entraram em estado de atenção e de alerta devido às chuvas. Segundo o órgão, estão em estado de alerta para deslizamentos os bairros Perus, Pirituba, Casa Verde e Jaçanã, na zona norte, Capela do Socorro e Parelheiros, na zona sul, Lapa, na zona oeste, e Itaquera, Itaim Paulista, Ermelino Matarazzo e Aricanduva, na zona leste. Estão em atenção para desmoronamentos e deslizamentos os bairros de Freguesia do Ó, Butantã, São Miguel, Vila prudente, Campo Limpo, M'Boi Mirim e Penha. Em alerta máximo estão as regiões de São Mateus, Cidade Tiradentes, e Guaianazes. Ainda há atenção para enchentes em Butantã, Campo Limpo, Guaianazes, Cidade Tiradentes, Aricanduva, Itaim Paulista e toda a zona norte.
No Twitter, Serra culpa excesso de chuvas pelos estragos em SP

Assim como Gilbeto Kassab, governador defende investimentos feitos e minimiza transbordamento do Rio Tietê SÃO PAULO - O governador de São Paulo José Serra (PSDB) usou sua página no Twitter para comentar o caos que São Paulo viveu com as chuvas de terça-feira, 8. Assim como o prefeito Gilberto Kassab (DEM), ele culpou o tempo pelos estragos e defendeu os investimentos antienchentes do Estado. "Foi a chuva mais intensa em um dia na Capital, desde março de 2006", escreveu o governador. "Nos oito primeiros dias de dezembro, choveu 143,1 mm, o que equivale a dois terços do previsto para todo o mês". Serra também destacou o fato do transbordamento do Rio Tietê na terça-feira ter sido o segundo desde a conclusão das obras de aprofundamento da calha, em 2006. O transbordamento anterior aconteceu em 8 de setembro deste ano. Na terça-feira, o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), órgão vinculado à Secretaria de Saneamento e Energia do Estado, disse que os alagamentos das Marginais do Tietê e dos Pinheiros foram reflexos de problemas de manutenção em bombas hidráulicas. Sete pessoas morreram em deslizamentos de terra ao longo da Capital e Grande São Paulo.

São Paulo ou Veneza? Confira algumas imagens...
O BOLETIM ECONEWS TERMINA AQUI, MAIS INFORMAÇÕES SOBRE AS CHUVAS EM SÃO PAULO E OUTRAS CIDADES VOCÊ CONFERE NA 2ª EDIÇÃO DO BOLETIM ECONEWS AS 23h00, AQUI NO BLOG TV ECOLOGIA, LEMBRANDO QUE ESTA É A PRIMEIRA VEZ DO BOLETIM ECONEWS QUE NÃO É UMA COLUNA DIÁRIA REGULAR.
OBRIGADO A TODOS E BOA NOITE!
©2009 TV Ecologia - VSOL 2009 http://www.tvecologia.blogspot.com/

0 comentários:

©2012 TV Ecologia. Tecnologia do Blogger.